O jornalismo e o audiovisual andam de mãos dadas

By Maria Moreira Rato - junho 27, 2017

Já nesta formação do Cenjor, pré-Congresso dos Jornalistas, tive de ficar na equipa de realização, ahah (a querida Inês à esquerda e o talentoso Luís à direita e eu, no meio, muito concentrada)

  No primeiro semestre deste 2º ano da licenciatura em Jornalismo, tive uma unidade curricular que me cativou desde os segundos iniciais: Ateliê de Captação e Edição Audiovisual. A cadeira, lecionada por dois professores (um deles que raramente apareceu, mas isso não é relevante, a não ser naquilo que concerne à minha falta de conhecimento em edição de som), fez-me crescer na vertente audiovisual, algo que sempre pretendi.
  Sim, agora transporto o tripé corretamente, consigo fazer o whitebalance, lá vou filmando umas panorâmicas mais ou menos jeitosas e ainda fico com um ar profissional ao realizar tarefas simples como mudar a bateria ou colocar o cartão de memória. Ah pois é, sou mesmo realizadora (desculpem, mas os meus colegas evocavam constantemente esta frase cada vez que me viam captar imagens e tive de a usar aqui). Digamos que o meu amor por estas "andanças" já existia, mas a sua evolução deveu-se a uma pessoa. "A quem?", perguntam vocês. Ao caro professor Pedro Lima, que teve uma paciência de santo! Quando tinha dúvidas estúpidas relativas ao AVID (que se tornou no meu programa de edição preferido - o que não era muito complicado, tendo em conta que eu só conhecia o rudimentar Windows Movie Maker, dominava mais ou menos o Adobe Premiere e pouco sabia fazer no Sony Vegas) chamava-o e ele sentava-se a meu lado e explicava-me os passos necessários para obter resultado x. Perguntava-lhe mil vezes se uma determinada imagem encaixava bem num minuto específico da voz-off e, se fosse necessário, ele ouvia aquela passagem várias vezes para se certificar de que poderia melhorar a combinação imagem-som.


Ignorem a minha expressão facial demasiado agressiva, o cabelo despenteado e o casaco: estava quase a chover e eu tinha de falar acerca do senhor Presidente Trump (ugh)

  Mas se querem saber, tive uma epifania quando o professor Pedro subiu para cima de uma mesa e eu pensei: "Será que isto é normal?" (professor, não me mate se estiver a ler isto, ok?) e disse-nos: "Se mudarem de lugar, passam a ver as coisas através de outra perspetiva". E não, não foi uma daquelas frases cliché, porque aulas antes tinha-me assustado ao proferir algo como: "Olhem para a esquerda, olhem para a direita, se alguém for melhor do que vocês, é melhor que se esforcem se quiserem ser jornalistas". E aquelas palavras tão simples alteraram a minha mentalidade...!
  Esforcei-me de tal modo que, com todos os meus defeitos, consegui um lugarzinho no céu, vulgo 4º Congresso dos Jornalistas Portugueses, e fui totalmente feliz em janeiro passado. Fazia parte, oficialmente, da equipa das Redes Sociais, mas tive de "colocar um pézinho em todo o lado" e adorei essa omnipresença que era exigida. Tive a honra de trabalhar com pessoas absolutamente incríveis e repletas de ideias, humildade e talento, como o Rui Guerreiro, formador do Cenjor, a Maria Dourado, que está prestes a terminar o mestrado em Jornalismo (e já estagiou na Blitz!) e por quem nutro um orgulho imenso ou o Miguel Fernandes, que me acompanhava em todas as loucuras (e partilho abaixo um dos nossos trabalhos):




  Muito bem: tendo em conta toda a experiência "arrecadada" e a necessidade de obter várias perspetivas, fui para as aulas de Ateliê de Jornalismo Televisivo toda entusiasmada e a achar que poderia desenvolver estas capacidades embrionárias: e desenvolvi, depois de ter mini AVCs a ler pivôs e a fazer falsos diretos. Quando chegaram as semanas destinadas à realização da reportagem, fui viver o Dia do Trabalhador com a minha colega e grande amiga Margarida e acabámos por passar dias e dias a editar os nossos projetos finais. A Redação Multimédia tornou-se (ainda mais) na minha melhor amiga e passei de uma reportagem de quase oito minutos para uma de dois minutos e quarenta e três segundos (como o professor Paulo Sérgio diria: "Quase com o tamanho ótimo para passar na Euronews!").
  Nunca lhe havia atribuído um título oficial, contudo, após o upload estar concluído, o Youtube insistiu e insistiu e pensei: "'Como será vivido o 1 de maio pelos imigrantes?'" não é assim tão péssimo porque sugere uma reflexão e é isso que pretendo... Ou devo escolher algo inovador como Imigração + Imigrantes e... Não, não vou usar coisas tipo soma com resultados no final".
  Portanto, depois de vos chatear, posso afirmar o seguinte: não sei fazer travellings perfeitos, mas já tenho cuidado com as entradas e saídas de campo; se me disserem "Que raio estás a fazer à objetiva!?", talvez não preste muita atenção, mas ouvir-vos-ei sempre se me alertarem para o zoom-in ou out. Há pequenos grandes pormenores que que não estão muito bem aprimorados, como poderão verificar na reportagem (uma falha horrível: reparem no meu braço a tapar o Joseph, o último entrevistado - este erro não devia ter sido cometido!).
  Mas gosto de pensar no caminho que percorri até aqui, principalmente, por saber que ainda existe muito mais por explorar, filmar, editar, fotografar, chorar, rir, etc. Porque o jornalismo e o audiovisual não podem MAS devem andar de mãos dadas!



  • Share:

You Might Also Like

14 comentários

  1. aiii, adoro estas coisas. já agora: não percebo muito disto mas acho que a tua dicção está muito boa! :)

    r: pedia para que desenhassem deus? oh... meu deus - salvo seja. :p

    ResponderEliminar
  2. Eu gosto de coisas relacionadas com imagem, fotografia etc ^^ por acaso uso um programa chamado filmora. Não sei se conheces mas tem uns efeitos super giros e simples além do programa ser fácil de aprender a mexer nele :)

    ResponderEliminar
  3. Estou em crer que estás no bom caminho.
    Desejo-te felicidades e um dia quando fores muito famosa, não te esqueças destes teus amigos por aqui... rsrsrs
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Ahahah és uma linda :P
    E que tal?!

    Opaaa! Tu não sabes o quão eu tenho adorado todas estas tuas partilhas. Os vídeos no insta, as tuas declarações no fb e estes posts que mostram a excelente profissional em que te estás a tornar!! <3

    NEW REVIEW POST | YVES ROCHER: Bronzing Duo Powder
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  5. Sou muito interessada por estas coisas do audiovisual, mas não conheço programas de edição para nada disso confesso!
    E concordo que o jornalismo e isso andam sempre de mãos dadas!!

    r: Obrigadaaa!

    ResponderEliminar
  6. muito obrigada pelos comentários! Segui :)
    http://desabafos-cat.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Adoraria ter uma cadeira dessas, parece-me ser muito interessante :). Eu caso não percebo nada de audiovisuais nem de edições, um dia gostava de aprender os básicos.
    Nota-se que adoras mesmo o teu curso :).
    Sim, concordo, o jornalismo e o audiovisual andam sempre de mãos dadas :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  8. Quando fazemos algo com tanta paixão, temos humildade suficiente para detetar as nossas falhas e procurar corrigi-las. O caminho pode ser longo, mas chegamos lá! Muito honestamente, acho que estás no bom caminho :D

    r: Oh, que querida, muito obrigada *.*

    Totalmente de acordo!

    ResponderEliminar
  9. É óptimo quando fazemos aquilo que realmente gostamos :)

    ResponderEliminar
  10. Este post mostra que estás a evoluir e que serás uma jornalista muito completa!

    ResponderEliminar
  11. Parabéns Maria! Estás no bom caminho... e que caminho ;)
    Beijinhos

    https://blogdiariodeumafamilianormal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Adorava trabalhar com audiovisual. O que mais me fascina no mudo da televisão é o que está por de trás daquilo que vemos.
    Parabéns pelo trabalho, vejo que és extremamente empenhada. Continua assim e acima de tudo espero que o jornalismo tenho uma cara diferente com a nossa geração.
    Boa semana :)

    ResponderEliminar
  13. Estou cada vez mais apaixonada por edição e quero meeeesmo explorar essa área. Adoro ler-te, nota-se a paixão com que falas sobre o jornalismo!

    ResponderEliminar
  14. O audiovisual é mesmo uma poderosa ferramenta do jornalismo... Bom ver-te a desenvolver todas estas técnicas e capacidades, para que possas exercer esta área que tanto te atrai...
    Estou a adorar ver-te por aqui!... E acompanhar os teus trabalhos!...
    Um beijinho grande! Tudo de bom!
    Ana

    Noutro dia com mais tempo, virei espreitar mais alguns dos teus posts!...
    Fica bem!...

    ResponderEliminar